ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

domingo, 13 de janeiro de 2013

O VIAJANTE


Ao partir pela vigésima vez em busca de aventuras, Artur arrumou as malas e não esqueceu o pedaço de cobertor que ele usava quando era criança. Todas às vezes que viajava, levava consigo aquele pedaço de pano velho. Ele dizia que aquele troço velho era uma relíquia. Dessa vez ele iria para o Chile e suas malas estavam repletas de roupas de inverno. Foi nesse momento da arrumação das malas em que ele lembrou o seu passado e o que o levou a gostar tanto de viajar. Ele pensou: Ah, meu avó Joaquim, o Jota como era chamado pelos amigos e familiares, foi meu grande amigo e inspirador. Lembro de nossas conversas quando eu o ajudava na horta de sua casa. Meu avô era um cara incrível que adorava cultivar hortaliças, aquele era um de seus grandes prazeres. Parece que foi ontem... Quando eu era criança e ficava na casa dele, ele me levava para o quintal e dizia: Vamos plantar para colher!  Ali no quintal enorme, preparávamos os canteiros para semear todo tipo de verduras. Era muito bom ouvir meu avô contar suas histórias enquanto cuidávamos da horta. Ele me dizia que viajou muito, antes de se casar com minha avó. Ele conheceu lugares incríveis. Ele me passou esse gosto por viajar e conhecer lugares.

Dessa vez estou indo para um lugar que há muito tempo queria conhecer. O Chile com sua paisagem fora do comum. O deserto mais seco do mundo fica lá, o Atacama. Mal posso esperar para ver aquele espetáculo da natureza. Sei que vai ser uma das viagens mais incríveis da minha vida. Já me preparei e vou ficar por lá pelo menos uns vinte dias. Quando eu voltar eu conto como foi a viagem.

lita duarte