ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

"PASSAGENS" - Lembranças

Foi só abrir o frasco de um produto de limpeza, e sentir um cheiro bom e agradável, que logo voltei no meu tempo de infância. Lembrei de um cheiro especial que eu sentia em alguns funerais. - É, a morte tem dessas coisas, deixa boas lembranças também - assim como quase tudo na vida.


1967, Barretos – SP, naquele tempo em que eu era muito pequena, morava naquela cidade ensolarada e onde eu vivia acontecimentos marcantes para toda minha vida, lembro que morria muita gente por lá – sempre morre muita gente em todos os lugares, mas parece que nunca nos acostumamos com isso. - Bem, eu me lembro de que algumas vezes os funerais tinham uma paz e um aspecto de compreensão, pelo fato de que alguém havia partido e não voltaria mais. - Lembro que algumas vezes eu sentia um cheiro de rosas misturado com pinho, era um cheiro muito agradável - não sei, mas antigamente, talvez porque os velórios eram realizados nas casas dos familiares do morto, havia um cuidado para que se ficasse com uma boa impressão na hora dessa passagem.


lita duarte