ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

O NASCIMENTO


No dia em que o Marcelinho nasceu, foi um momento especial. Nunca imaginei que ajudaria uma pessoa no meio da rua a ter um bebê. Foi muito tranquilo, tirando os curiosos que ficaram olhando e querendo dar palpites. Celina, uma menina de vinte anos, moradora de um bairro distante do centro da cidade, havia passado mal ao se encaminhar para o posto de saúde, ela pensava que o bebê nasceria só no mês seguinte. Estávamos no mês de fevereiro e o ano era 2009. O bebê nasceu ali, naquela praça bonita e embaixo de uma bela árvore. Amanhã ele completa dois aninhos. Ele está um encanto de criança. Toda vez que eu os encontro, Celina lembra emocionada daquele momento e diz: É mesmo incrível ter um bebê. No momento à gente sente uma dor insuportável, mas depois que passa, a gente não se lembra de mais nada e se sente feliz.

lita duarte