ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

"O APRENDIZADO" Amigos - parte 2

-Não estrague as lembranças boas, não esmague o que eu guardo em meu coração. Tive que aprender a caminhar sozinho. Um dia me chutaram do ninho... Voei! Quando cai aqui, pude ver que você também estava no frio e tentando sair do limbo. Hoje, me sinto só, mas caminho feliz. Um louco, não é louco porque quer, e não é por ser louco que ele é tão criativo. Faço da arte um pouco da minha vida. Se pudesse ficaria sóbrio, mas não mando no Dono do Mundo.

-Somos dois. - Quando eu era pequeno, me perguntavam o que eu ia ser quando crescer. Eu dizia que queria ser um besouro, então, todo mundo ria. Sei o que minha mãe passou, mas hoje, tudo acabou.

-Não lamente, sinta que ainda há tempo para você.

-E você? Vai jogar a toalha! É fácil desistir, difícil é lutar até o fim.

-Já disse que me sinto feliz e assim ficarei. Nada e ninguém me farão mudar o meu estado. Isso porque eu nem te contei o sonho que tive na noite passada. Foi de arrepiar. Depois eu conto.

-Nada disso, conte já. Você sabe que eu detesto deixar as coisas para depois. Depois, pode não chegar.

-Não quero estragar o momento.

-Vai estragar se não contar o sonho.

-Está bem. Escuta! Eu estava diante do mar, mas era um lugar estranho, eu nunca havia estado ali, aquele lugar era de uma beleza fora do comum. Do fundo do mar saia uma voz que dizia o meu nome. Era doce e angelical essa voz, me chamou várias vezes e dizia para eu entrar no mar e nadar, quando tomei coragem entrei. Nesse momento senti um frio e um arrepio, então acordei.

-Que sonho! Na hora que o bicho ia pegar você acordou, ah, que sem graça. E me diz por que anjo tem que ter voz doce! Eu quero o meu anjo de voz grave, bem grave. Espera aí... Será que era um anjo? Você ficou com medo? Por que você sentiu medo?

continua...

lita duarte