ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

sábado, 8 de janeiro de 2011

A FESTA


Quando o Biél fez dezoito anos em 1974, ele fez uma festa na casa dele e convidou todos os seus amigos. Naquela época o Biél era totalmente roqueiro e seus amigos eram de várias turmas.
Havia a turma dos roqueiros, e outras tantas que curtiam rock, mas também curtiam outros sons.
Eu não era de nenhuma turma, porque curtia sons os mais variados. E também era muito nova e só fui à festa do Biél, porque uma amiga dele me chamou para ir junto com ela. Ela sabia que o Biél estava afim dela, então queria ir com alguém tipo: se não rolasse nada, ela não ficaria mal.

Chegamos à festa. Foi muito bom, eu me senti a tal. Havia muita gente bonita, uns caras lindos e umas meninas muito bonitas. Todo mundo ali, era muito jovem, mas pareciam mais velhos, já se sentiam os “bem encaminhados na vida”.

O Biél nos recebeu muito bem, atencioso e gentil e nos apresentou várias pessoas.
Ele queria ficar de papo com minha amiga, então me apresentou um cara muito interessante, era o espanhol. O cara era muito doido, ficava brincando com todo mundo, fazia a maior zoeira. De vez em quando, ele pedia para o cara que estava cuidando do som para botar uma música especial, então começava a cantar e dava o maior show.

Estava tudo indo muito bem, até o espanhol começar a querer fazer zoeira com o Biél.
Ele queria dar um banho no Biél. Zoeira de aniversário que estragou a festa.
O Biél, percebendo o que iria acontecer, correu para o seu quarto e se trancou lá dentro e sozinho.
Todo mundo ficou esperando que o Biél voltasse para a festa, mas que nada, passaram-se muitas horas, o som rolando e a moçada na maior agitação, dançando, conversando e festejando!

O Biél, não saiu do seu quarto, então como já era muito tarde a festa acabou. Cada um foi para seu canto, mas todos ficaram chateados com o Biél, eu só ouvia as pessoas dizendo: Que cara chato, não sabe brincar! Que será que deu nele! Pirou!
Minha amiga, coitada, ficou decepcionada com o comportamento do Biél, e disse: Isso não é comportamento de um cara que está afim de uma menina, que infantil!
Eu não disse nada, só balancei a cabeça concordando com ela.

Mas sabem de uma coisa: Eu gostei da festa, lá eu ouvi pela primeira vez o som do Yes. Nossa! Foi sensacional! Nos dias que se seguiram eu só queria saber do Yes. Ganhei o album Yessongs, e não cansava de ouvir o disco e cantar suas músicas.

Naquele mesmo ano uma pessoa muito querida da minha família casou ao som do Yes.
Nossa! Foi sensacional, mas essa já é outra estória.

lita duarte