ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

O POBRE HOMEM

Na cidade havia um homem que andava de cabeça baixa como se quisesse tocar o chão com a cara.
As pessoas viviam intrigadas com o jeito dele se portar, parecia que ele estava descontente com a vida. Ninguém tinha coragem de perguntar se ele precisava de ajuda.

Certo dia, alguém disse que aquele homem andava daquele jeito porque na juventude ele havia sido uma pessoa muito perversa. Por isso, andava assim, querendo tocar o chão com a cara, porque se sentia envergonhado pelos seus atos de outrora.
Agora que estava velho e doente e sabia que cedo ou tarde morreria, então vivia assim.

Também diziam que ele havia tirado a vida de uma pessoa e por isso andava desse jeito como se sentisse o peso do remorso.
Diziam tantas coisas daquele homem, mas ninguém sabia ao certo o que de fato teria ocorrido com ele.

Um dia, o homem caiu na rua e morreu, então foram até sua casa para avisar um seu familiar, mas não encontraram ninguém. Entraram na casa para pegar roupas e documentos para que ele pudesse ser enterrado. Dentro da casa encontraram uma parede forrada de retratos de uma mulher e uma mala cheia de cartas. As cartas eram da tal mulher que ficou esperando muito tempo que o tal homem tomasse uma decisão na vida. Em uma das últimas cartas, a mulher dizia que estava muito doente e que não dava para esperar mais. Ela também dizia que não importava nada, porque o importante foi o amor que ela sentiu por ele. Isso bastava.

Depois desse episódio concluíram que o pobre homem se fechou para o mundo e passou a viver de um passado no qual ele não teve coragem para mudar o rumo de sua história.

lita duarte.