ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

sábado, 7 de agosto de 2010

ELE

Ele era alto, forte (nem magro e nem gordo), cabelos pretos, olhos castanhos claros, que mudavam de cor em alguns momentos, tornavam-se esverdeados.
Ele era uma figura que passava confiança e credibilidade, era um comunicador. Para mim, ele era o meu protetor. Meu pai, um homem que me passou muitas coisas boas.
Uma delas foi o respeito pela Natureza, preciso dizer que ele era neto de Bugre, a avó materna dele, era índia. Eu tenho orgulho em ter sangue indígena.
Ele era um grande contador de estórias, incrível era presenciar ele contando estórias, ele envolvia as pessoas.
Ele foi um homem que viveu de maneira digna, ensinou verdadeiros valores para os filhos. Ele sempre dizia que se quisesse poderia ter se tornado um homem rico, pois em certa altura de sua vida foi oferecido a ele oportunidades, mas ele não quis, porque essas oportunidades envolviam coisas ilícitas. Ele dizia que um homem precisa ter o sono tranqüilo, a hora de dormir é sagrada.
Ele costumava dizer que o maior tesouro de sua vida era sua família. Ele tinha um grande amor por minha mãe, eles eram muito unidos.
Ele foi um homem totalmente dedicado à família. Eu agradeço a Deus por ter nascido da união dele com minha mãe.

lita duarte