ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

sábado, 14 de agosto de 2010

A BRUXA E A BELADONA


Quando eu era criança costumava passar muitas horas brincando no quintal de uma velha senhora conhecida como bruxa. Foi aí que tive uma experiência alucinante com uma planta chamada beladona. Eu estava colhendo flores para enfeitar um móvel da bruxa, quando vi umas flores brancas e enormes nas quais eu ainda não havia reparado. Muito curiosa como sempre, me aproximei do pé de beladona e senti um perfume muito agradável, não deu outra, comecei a apanhar aquelas belas flores cheirosas. Tive uma sensação estranha ao levantar o braço para apanhar uma flor que estava no alto… Senti uma tontura muito forte, mas a sensação era boa. Fui ficando ali apanhando flores e não percebi o tempo passar. Devo ter ficado ali durante muito tempo. Quando percebi estava deitada em cima de muitas flores e a bruxa dizendo meu nome e me chacoalhando para que eu levantasse. Levantei muito zonza e fui com a bruxa lá para dentro de sua casa. Ela fez um café bem forte e me deu para tomar, tomei e fiquei um pouco melhor. Então a bruxa me levou para casa e disse para minha mãe o que havia ocorrido. Minha mãe me mandou tomar banho e depois me deu uma refeição bem reforçada, pois eu estava com muita fome. Ela me disse para não colher beladona, pois a tal planta era muito tóxica, claro, ela me explicou o significado da palavra tóxica. Tudo passou, não tive mal estar durante a noite. No dia seguinte, fui à casa da bruxa, como sempre fazia. Chegando lá, ela me levou para ver o pé de beladona e junto carregou um machado. Quando chegamos perto do pé de beladona à bruxa me disse assim: Filha, eu vou cortar essa planta porque ela é muito perigosa e como você ainda é pequena e teimosa eu sei que, se eu deixar a planta aqui, você vai voltar e mexer nela novamente. E eu não quero que nada de mal te aconteça. Então eu disse para a bruxa: Não! Não corta ela não, nunca mais eu vou mexer nela. Então fomos para outro lado do quintal para colher alfaces.

Passaram-se uns dias. Numa certa manhã em que à bruxa havia saído, coisa que ela raramente fazia, aconteceu que, uns moleques malvados entraram lá no quintal da casa dela para apanhar frutas, só que além de pegar as frutas sem pedir, os tais fizeram uma maldade.Arrancaram todas as flores que ela cultivava,as rosas de várias cores, margaridas, dálias e outras.Os malvados só não arrancaram à beladona .Quando nós vimos o estrago, nós choramos muito, então ela me pegou no colo e me abraçou e disse que eu era a flor mais linda da vida dela.
Nunca mais esqueci aquela velha senhora que era conhecida como bruxa. Ela era conhecida assim, simplesmente porque era uma pessoa que tinha uma aparência com traços muito fortes de sofrimento, e porque gostava de viver isolada sem muito contato com as pessoas. Bem, com certeza ela deveria ter boas razões para isso. A bruxa e a beladona foi um acontecimento grandioso na minha vida.Inesquecível.


lita duarte