ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

terça-feira, 13 de abril de 2010

SOFIA

Quem vê Sofia assim, não sabe o que ela causa em mim. Sim, em mim! Euzinho que a vejo todos os dias! Desejo tocá-la com minhas palavras, mas eu…eu. Quem sou eu! Ora, que mania de apresentações. Eu sou um cara qualquer. Um corpo que anda e que sente. Mas preciso dizer que: nesta vida a gente aprende a jogar, ou a gente é jogado de lá para cá. Não, não me digam que sou um cara problemático e esquisito. Sou apenas alguém que teve muitas dificuldades na vida. Então vocês vão dizer: Que novidade! Todos passam por dificuldades. É, concordo.Mas algumas pessoas passaram por uns perrengues na vida, e só elas sabem o que sofreram. Mas eu quero é falar de Sofia.

Sofia, mulher bonita, atraente, mas muito triste. Ah! se eu pudesse entrar naquele espaço que é sua vida. Mas ela é tão distante que eu mal tenho coragem de me aproximar. Ela está sempre com aquele olhar distante, parece que anda nas nuvens. Queria ter coragem e dizer pra ela: Sofia, Sofia! Me leva para o teu mundo. Se é lá na lua, então é pra lua que eu vou.

lita duarte