ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

terça-feira, 30 de março de 2010

RACHADURAS NA PAREDE

A casa da rua vinte era muito antiga. Era um sobrado que todos diziam que era assombrado. Mas quem morava lá, afirmava que não era não. Sabe como é, o povo inventa umas estórias que vão se espalhando.
Mas o fato é que naquela casa em 1920, morava uma família constituída de pai mãe e dois filhos. Dizem que um dia, num ataque de fúria o pai envenenou os filhos e a esposa, depois entrou em seu carro que era um Ford preto, saiu dirigindo alucinado e acabou se jogando dentro do rio que passava pela cidade, ninguém sabe porque ele fez aquilo.

A casa ficou fechada por muitos anos, até que em 1958, foi vendida para uma família de italianos. A casa foi reformada e a família se mudou para lá. Só que não parou muito tempo, pois a casa vivia apresentando rachaduras nas paredes. Por mais que fossem reformadas as paredes, as rachaduras sempre voltavam.
Enfim, a casa foi vendida várias vezes, pois ninguém conseguia ficar lá por muito tempo.

Certo dia, um senhor querendo comprar um terreno para abrir um negócio, passou na frente da casa e gostou muito do lugar. Então ele procurou saber de quem era aquele imóvel que já fazia muito tempo que estava ali para ser vendido. Conclusão, ele comprou o terreno e derrubou o sobrado, construiu um estacionamento para carros, e o negócio está indo de vento em polpa, rachaduras em paredes não existem lá. Só que todos os dias à tardinha, pessoas que moram próximas ao estacionamento quando olham em sua direção dizem avistar um Ford preto muito antigo, já perguntaram ao dono do estacionamento de quem é aquele carro, mas ele diz que nunca viu o tal Ford preto antigo.

lita duarte